Dudu e Marcela

Marcelinha sempre muito sorridente brincava todas as tardes com seu vizinho Dudu, ambos gostavam de animais e ficavam correndo pelas ruas atrás dos grilinhos e dos passarinhos,era sempre uma festa.

Sua mãe e dona Maria viviam falando que ia dar casamento porque os dois não se desgrudavam, dava três da tarde e os dois passavam correndo juntos para a rua indo brincar.

Dudu cresceu e ficou um moço bonito, de porte e com sorriso lindo!E Marcela aflorou uma beleza surreal e delicada, sua feição era realmente única, quem imaginaria que aquela pequena moleca se tornaria uma jovem dama.

Ela estava saindo de casa para ir a feira e Dudu voltava da feira com a charrete de seu pai todo alienado e tranqüilo, quando viu Marcela ficou estatelado, faltou lhe reação e ar. Aquele dia foi diferente de todos os anteriores Marcela estava com os longos cabelos negros e lisos soltos, seu olhar era doce como o cheiro das rosas brancas e seu vestido claro com detalhes azul céu, só tornando-a mais distante da realidade de Dudu.Ela sorriu e acenou!O coração dele palpitou – Acho que não agüento !Imagine um jovem moço apaixonado pela primeira vez.Não sabe nada e não entende nada! Era muito engraçado ver Eduardo desesperado atrás de Marcela, depois daquele dia ensolarado e intenso em seu coração Dudu cresceria, seria agora o jovem Eduardo Paiva,não mais o Dudu queridinho de todos e amigo de infância de Marcela das feições encantadoras.

Num certo carnaval, as duas famílias vizinhas foram juntas assistir a marchinha no centro da cidade e Eduardo e Marcela conversavam calmamente e de forma muito amigável, Eduardo se controlava para não roubá-la daquele lugar mesmo.Foi então que ela pediu um sorvete e seu pai mandou-lhe ir comprar com Eduardo, pois o rapaz era da confiança da família não haveria problema algum irem juntos até esquina comprarem o sorvete, ele estaria vendo a filha de longe …

É minha chance!Vou roubar-lhe um beijo agora! Acelerado e ofegante por dentro Dudu, não via a hora de se afastarem mais dois passos e a beijaria a força, não queria saber se não ia gostar ou se iria apanhar do pai da moça. Queria beijá-la!

Após pegar o sorvete para a moça ,Dudu parece desistir de seu plano genioso e a convida para se sentarem no banquinho – Que dó senti de Dudu seu olho brilhava de paixão por ela, mas lhe faltavam forças e coragem para declarar-se. Desisto!Escondo essa paixão e deixo pra lá! Não vou me arriscar para tanto, ela é muito linda ! Não consigo me mover!

Olhou-a tristemente e respirou fundo desolado, Marcela sorriu de volta e beijou-lhe docemente o canto dos lábios.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s