Os tópicos do amor : A empreitada repleta de detalhes Pt 1

O amor começa a fazer sentido quando você começa a perceber que ele existe independente de você . Ele existe por aí, em cada esquina, cada rua, lugar e pessoa, vai de você ter feeling  para Ele, não saber o momento certo, não ter certeza de nada, a não ser de sua total tolice de apaixonado, é somente isto por certo. Nada nem ninguém consegue controlar os sentimentos, por mais que a pessoa diga e afirme com toda convicção do mundo que há o controle das emoções, ela está mentindo para si mesma. Essa é a mais comum das falácias sociais, a realidade é : SOMOS COMPLETAMENTE VULNERÁVEIS aos NOSSOS SENTIMENTOS. Somos completamente entregues às situações e caminhos do amor . 

Há um autor que diz o seguinte sobre o amor: ” Se amar é uma festa, eu estou em pleno carnaval “. Acreditem é uma festa, uma festa que eu e você nunca esperamos participar, na verdade em nós há o anseio e a espera de vive-la , dança-la “participar”  porém, nunca, mas nunca sabemos realmente quando estaremos com o convite nas mãos, ou se quer se aquele convite que recebeu, é o convite esperado. Por que os riscos que aceitamos em cada convite aceito, são danosos, são perigosos, são reais. É possível compreender a gravidade e a leveza de tudo ? Não há em você uma certa curiosidade e vontade de entrega ao saber que é arriscado ? Nada ? Ouço uma canção neste exato momento que diz assim; ” Vê se encontra um tempo pra me encontrar sem contra tempo […] ” 

Mais um tópico enrustido: O TEMPO. Precisamos dele, o temos às mãos e nunca sabemos como usar ou se devemos desperdiça-lo. Através dele o achamos,

– PERA! Achamos quem?

– O Amor UÉ!

É na primavera que tudo em flor se faz realizar o amor. Ressuscita por amor, as pétalas que anteriormente sofreram e se  viram beirar o fim de mais um ciclo, sem esperar voltar, mas um certo dia, Cecília Meirelles descreveu-se da seguinte forma: ” Sou como a primavera, aprendi a me deixar contar para poder  voltar sempre inteira.” . Mais?

O toque…  Como pode o simples toque no rosto, um acariciar , transmitir tanta emoção e tanta canção? É no simples gesto de dar as mãos e sentir o coração acelerar de maneira surreal. Ou até mesmo quando estivermos nos despedindo e trocarmos um abraço, a sensação agora é de um leve tremor e receio de sair de seus braços. O beijo ? Ah… Minha real sensação é de um simples relaxamento, leveza e sorrisos internos em cada canto do meu corpo e mente. 

Uma dança que a bailarina se entorna e se curva para a curva do amor, entrou, deitou, silenciou e deixou.

 

Anúncios
Publicado em Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s